(+351) 213 581 891 [email protected]    Contactos

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais

OPBPL – Novembro de 2009 e Março de 2015

Estudo completo em : http://opbpl.cies.iscte-iul.pt

Em Março de 2015 foi publicado na página do Observatório de Boas Práticas Laborais (OPBL) um estudo intitulado “Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais” em que demonstra as principais diferenças entre as três principais Confederações Sindicais (CGTP, UGT e USI) a nível da Filosofia, da Ideologia de base e dos Princípios de atuação.

Nos quadros em baixo, pode verificar a análise comparativa apenas no que respeitas às Confederações Sindicais.

 

  CONFEDERAÇÕES SINDICAIS  
CGTP-IN UGT USI
(Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional) (União Geral de Trabalhadores) (União dos Sindicatos Independentes, Confederação Sindical)
http://www.cgtp.pt/ http://www.ugt.pt/ http://snqtb.wpengine.com/
  Filosofia  
Promoção de uma sociedade mais justa e fraterna sem exploração do Homem pelo Homem Contribuição para a edificação de uma sociedade mais igualitária, justa e livre Defesa da supressão das injustiças sociais e económicas existentes na sociedade
Desenvolvimento nos trabalhadores de uma consciência de classe, sindical e política Trabalho no sentido da consecução de uma democracia social e económica Intervenção com propósitos responsáveis e construtivos
Defesa dos direitos, interesses e aspirações individuais e colectivas dos trabalhadores Solidarização para com as acções de organizações democráticas representativas de trabalhadores Diálogo positivo e eficaz com todos os actores sociais
Emancipação cívica, económica, social e cultural dos trabalhadores Defesa de uma política de negociação livre que assente no respeito mútuo e na boa fé negocial Promoção de uma associação sindical que se fundamente na democracia, liberdade e independência
Defesa da unidade orgânica do movimento sindical e combate das acções tendentes à sua divisão Contribuição para o fortalecimento do movimento sindical democrático, livre e independente Contribuição para a credibilização

e elevação do sindicalismo

 

 

CGTP-IN UGT USI
(Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional) (União Geral de Trabalhadores) (União dos Sindicatos Independentes, Confederação Sindical)
  Ideologia de base  
Reconhecimento do papel da luta de classes na evolução histórica da Humanidade Possibilidade de organização dos trabalhadores em formas próprias de expressão sindical Rejeição da pretensão hegemónica da CGTP-IN e UGT em representarem os Trabalhadores Portuguesas
Assunção como organização sindical de classe de oposição ao sistema capitalista e à propriedade privada expressiva Aceitação da diversidade de concepções ideológicas, políticas ou sociais Ocupação de um espaço sindical próprio caracterizado por uma efectiva independência e autonomia
Promoção de um sindicalismo de massas assente na solidariedade, unidade, intervenção e transformação Respeito pela completa autonomia das Associações Sindicais filiadas Ligação permanente aos seus associados, rejeitando qualquer tipo de sindicalismo de cúpula
Pretensão de representação dos interesses individuais e colectivos dos assalariados (sindicalizados ou não) Independência face ao Estado, Partidos e Patronato Defesa da solidariedade sindical no respeito pelas especificidades existentes
Autonomia face ao Estado, Partidos e Patronato Recusa da instrumentalização político-partidária Independência face a políticas

 

 

CGTP-IN UGT USI
(Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional) (União Geral de Trabalhadores) (União dos Sindicatos Independentes, Confederação Sindical)
  Princípios de Atuação  
Participação na elaboração da legislação do trabalho e insistência num direito de contratação colectiva sem excepções Participação na elaboração da legislação social e do trabalho e insistência na livre negociação colectiva Análise crítica de problemas laborais, sociais e sindicais
Actuação na definição das políticas de rendimentos, tendo como referencial o aumento do poder de compra Atenção ao cumprimento de convenções e recomendações advindas da Organização Internacional do Trabalho Participação na elaboração da legislação do trabalho
Valorização do trabalho e dignificação dos trabalhadores e de todas as dimensões relativas à sua vida Promoção da dignificação do trabalho e dos trabalhadores e das suas condições de vida Participação em matéria de fixação de condições de trabalho
Redução progressiva da duração do tempo de trabalho e fixação de horários conciliadores com a vida privada Valorização da dimensão social da empresa, visando a estabilidade democrática das relações e a participação Actuação nas questões relacionadas com a higiene, segurança e saúde nos locais de trabalho
Promoção da dimensão social da empresa, permitindo a democracia e a realização pessoal e profissional Defesa do direito à escolha e acesso ao trabalho e sua segurança Fiscalização da aplicação de leis do trabalho e de acordos estabelecidos
Prossecução de um sistema de segurança, higiene e saúde que melhore as condições de trabalho Promoção do combate às desigualdades salariais fundamentadas em factores discriminatórios Acção em prol da dignificação do trabalhador e do trabalho por si executado
Defesa do direito à escolha e acesso ao trabalho e sua segurança Trabalho em prol da manutenção e desenvolvimento dos direitos de grupos sociais vulneráveis Defesa da estabilidade do emprego
Promoção da igualdade de direitos entre homens e mulheres Atenção à reconversão e reciclagem profissionais, de modo a minimizar o desemprego tecnológico e o subemprego Participação em iniciativas que possibilitem a valorização profissional, social e cultural dos trabalhadores
Valorização profissional dos trabalhadores e do direito e liberdade de informação e opinião Valorização da Economia Social Prestação de serviços de ordem económica, social, cultural